Caqui

O caquizeiro, árvore da família das Ebenáceas, é originário da China,da Coréia e do Japão. Por alusão à cor do fruto, "caqui", em japonês significa "amarelo escuro".

O caqui só deve ser comido quando completamente maduro, porque, verde, é adstringente. Maduro, é saudável e rico, tanto pelo seu conteúdo em sais e vitaminas, como pela sua taxa de carboidratos. Convém especialmente às crianças, e é muito indicado aos convalescentes. Seu cativante sabor age como estimulante do apetite, e pode ajudar a introduzir o hábito de comer frutas no caso das crianças.

Foi trazido ao Brasil pelos imigrantes japoneses e se ambientou muito bem em nosso clima e solo. A cor do caqui varia do amarelo esverdeado ao vermelho alaranjado. Depois de amadurecido, sua polpa fica macia e muito saborosa. Há algumas variedades de caqui que não têm sementes. Há também o caqui chocolate, com polpa escura e mais firme. Em geral, o caqui é consumido ao natural, mas também pode ser usado na preparação de vários tipos de doces. Em alguns países é preparado numa conserva de vinagre, para acompanhar pratos salgados.

Fruta de sabor doce e agradável, contém vitamina A, B1 e B2, além de quantidade considerável de fibras que regulam as funções intestinais.

É muito recomendado contra afecções do fígado, problemas intestinais, catarros da bexiga e as enfermidades das vias respiratórias. As pessoas que sofrem do estômago e que apresentam manifestações de acidez, dores ou cãimbras, melhoram comendo 2 ou 3 caquis por dia.

Como Comprar

Na hora da compra, observe se a fruta não apresenta rachaduras, se está firme e de cor uniforme.

Como Armazenar

O caqui só não deve ser lavado na hora de consumi-lo, caso contrário ele azeda facilmente. Quando a fruta não estiver totalmente madura, deixar em local fresco e arejado para completar a maturação. E se estiver madura, conservar em geladeira por 4 a 5 dias.

Uso medicinal

Cãibras: Recomenda-se, empiricamente, comer dois ou três caquis por dia.
Constipação intestinal: Fazer algumas refeições exclusivas de caqui. Pode substituir o jantar. Não comer em excesso.
Dispepsia: Recomenda-se, especialmente em dispepsias infantis, o uso do caqui. Fazer algumas refeições exclusivas desta fruta, madura e sem casca. Mas comer moderadamente. Não usar açúcar.
Fígado, doenças do: Recomenda-se fazer, esporadicamente, algumas refeições exclusivas de caqui. Mas comer com moderação.
Pirose: Fazer algumas refeições exclusivas de caqui, mas não usá-lo em excesso.
Respiratórias, vias, doenças das: Recomenda-se cozinhar a polpa do caqui com água em um pouco de mel. Mexer bem e tomar meia xícara deste líquido xaroposo, momo, várias vezes ao dia.
Bexiga, doenças da: Fazer algumas refeições exclusivas de caqui, ou de suco de caqui com um pouco de água, sem açúcar.

COMPOSlÇÃO QUÍMICA
Cem gramas de caqui contêm:
Calorias 80 kcal
Água 65,80 g
Carboidratos 31,60 g
Proteínas 0,70 g
Lipídios
1,20 g
Vitamina A (Retinol equivalente) 250 mcg
Vitamina B 1(Tiamina) 50,00 mcg
Vitamina B2(Riboflavina) 45,00 mcg
Niacina 0,10 mg
Vitamina C (Ácido ascórbico) 17,10 mg
ferro 0,30 mg

Fonte:

http://www.hortalimpa.com.br/curiosidades/caqui.htm
http://www.hortifruti.com.br/cgi-bin/t_vidaleve.asp?area=produtosdaestacao&id=4
F. C. Hoehne, Frutas Indígenas – Instituto de Botânica São Paulo. 1946
EURICO TEIXEIRA DA FONSECA, Frutas do Brasil, Editora SEDREGA, Rio de Janeiro
Dr. Flavio Rotman, A Cultura Popular pela Comida, 17ª ed.,Editora Record, Rio de Janeiro. 1997.


<< anterior

[Cesta de Frutas]
próxima >>