Jambo

"Esta fruta que vos mostro é muito estimada nesta terra: veio de Málaca há pouco tempo,
porque há muitas naquelas partes. Mas dizei a que vos parece este pomo, pois é do tamanho de
um ovo de pata e algum tanto maior; já vedes como a cor dele é feita de branco e vermelho, e
cheira a água rosada, de maneira que aos dois sentidos é aprazível."
"Para mim" - diz Camara Cascudo referindo-se ao texto acima - "essa fruta é o jambo-
vermelho ou jambo-encarnado"
História da Alimentação no Brasil –Camara Cascudo.

Árvore que pode atingir até 15 m de altura. Copa de forma cônica, densa com ramificação abundante. Folhas de coloração verde-brilhante.

Suas flores são grandes e cheirosas, coloridas de rosa carmim, que quando caem, formam sob as árvores um lindo tapete purpúreo, sendo o jambeiro reconhecido como uma árvore de muita beleza e boa sombra.

Seu fruto tem a Forma ovóide de coloração branca, verde, rósea, amarela e vermelho-escura, com polpa suculenta, de cor branca, envolvendo sementes globosas, delicias vindas para o Brasil da Índia e de algumas ilhas da Malásia.

É fácil identificar um pé de jambo quando ele está florando. Basta olhar pro chão. Nessa época, as pétalas se desprendem, formando um tapete róseo.

Os jambeiros são belíssimas árvores. Embora não sejam originárias da América, aclimataram-se tão bem às condições do trópico americano que parecem nativas da terra.

Nas regiões Norte, Nordeste e Sudeste do Brasil é raro um pomar sem pelo menos um jambeiro. E ninguém se pergunta se ela é do lugar ou se veio de longe.

Embora todos eles tenham o mesmo nome - jambo não se trata de variedades de uma mesma fruta. Seu parentesco é talvez o mesmo parentesco que existe entre a jabuticaba e a pitanga, também Mirtáceas como todos os jambos.

O mais conhecido dentre eles, o jambo-vermelho (Eugenia malaccensis).

Dicas para consumo:

Ao natural ou em forma de doces ou compotas. Compota – Usando o jambeiro-vermelho, faz-se um delicioso doce, da seguinte maneira: os jambos são descascados, mas não completamente; - são partidos ao meio; - são apenas aferventados; - colocados para cozinhar em calda de açúcar fervente. O resultado, segundo Dona Chloé Loureiro, é um doce lindo, cor-de-rosa, da cor do doce de pêssego.

Indicações Terapêuticas:

• As cinzas da casca, misturadas com óleo, são usadas contra queimaduras.
• A raiz combate prisões de ventre, desarranjos intestinais, catarros do pulmão, diabetes, tosses e dores de cabeça.
• Com as flores pode-se preparar um xarope laxativo.

Fontes:

http://www.todafruta.com.br/todafruta/noticias_su.asp?menu=812
http://www.bibvirt.futuro.usp.br/especiais/frutasnobrasil/jambo.html
http://www.geocities.com/atine50/frutas/jambo.htm
Dr. Flavio Rotman, A Cultura Popular pela Comida, 17ª ed.,Editora Record, Rio de Janeiro. 1997.


<< anterior

[Cesta de Frutas]
próxima >>