Jenipapo

Jenipapo é uma fruta que se parece com o figo, só que um pouco maior. Fruto do jenipapeiro, deve ser colhido no ponto certo de maturação para que possa ser aproveitado. Embora seja consumido ao natural, seu uso mais freqüente é sob a forma de licor.

Na medicina caseira, o jenipapo é utilizado como fortificante e estimulante do apetite. Quando verde fornece um suco de cor azulada muito utilizado como corante para tintura em tecidos, artefatos de cerâmica e tatuagem. Após a maturação sua polpa é comestível.

O jenipapo é uma baga ovóide com 8 a 12 cm de comprimento por 6 a 9 cm de diâmetro, de cor escura e casca rugosa e murcha, com polpa marrom clara e numerosas sementes pardas e achatadas. Ácida para ser consumida naturalmente, é muito utilizada como matéria-prima alimentícia de doce, licor, xarope, vinho e quinino (sulfato de quinina - usado como antimalárico e antipirético).

Sua polpa é suculenta, aromática, comestível e com sementes no centro.

A seiva do jenipapo serviu-se aos brasilíndios, não somente para se alimentarem, mas também para tingirem de preto os seus utensílios O sumo dos mesmos, espremido enquanto eles estão verdes, é como água, perfeitamente cristalino, mas passando nos objetos ou no corpo, adquire tonalidade negra como pixe, torna-se brilhante como o verniz e indestrutível nos objetos de madeira ou nas cabaças.

O jenipapeiro “nunca está sem fruto”, ficam de um ano para o outro nos ramos, que se despem totalmente da folha, e só amadurecem quando a árvore está de novo “bem vestida de folhas”, e já com crescimento os novos frutos, que hão de ficar para o ano seguinte.

Além de comerem o jenipapo, os nossos índios faziam de sua madeira uma tinta azul-negra, com a qual pintavam o corpo todo nas suas festas. Também é dado o nome de jenipapo à mancha escura que os mestiços trazem nos quadris ou na cintura, ao nascerem.

O uso do jenipapo, na medicina popular, é bastante conhecido no Pará, no Amazonas e no Acre: “Para as doenças do baço, nada como colocar o pé no tronco do jenipapo. Corte a casca do tamanho do pé da pessoa doente. A casca retirada do jenipapeiro deve ser colocada no fumeiro da cozinha. A casca vai engelhando e o baço também”.

Utilidades Medicinais

• Asma - Cozinhar o suco de jenipapo até que fique reduzido mais ou menos à metade. Tomar morno as colheradas de hora em hora.
• Enterite crônica - Tomar o refresco do jenipapo adoçado com um pouco de mel ou sem adoçante, à temperatura ambiente.

Fonte

F. C. Hoehne, Frutas Indígenas – Instituto de Botânica São Paulo. São Paulo. 1946.
EURICO TEIXEIRA DA FONSECA, Frutas do Brasil, Editora SEDREGA, Rio de Janeiro. 1954.
Dr. Flavio Rotman, A Cultura Popular pela Comida, 17ª ed.,Editora Record, Rio de Janeiro. 1997.
http://www.todafruta.com.br
http://www.geocities.com
http://www.soutomaior.eti.br


<< anterior

[Cesta de Frutas]
próxima >>