Melão

O melão é, provavelmente, originário da região central da Ásia e também da África, de onde teria sido levado para a Europa no início da Era Cristã. Fruta conhecida e cultivada há muitos séculos, sabe-se que o melão era muito apreciado entre os romanos. Supõe-se que os melões, bem como as melancias, eram também cultivados pelos habitantes do Egito antigo.

O melão é a fruta de uma planta da família da abóbora e da melancia.

Tem forma variável, podendo ser redondo, oval ou alongado, mas em geral todos os tipos têm entre 20 e 25 cm de diâmetro. A casca pode ser lisa, enrugada ou apresentar nervuras em forma de rede. A cor da casca varia do verde ao amarelo e a da polpa também muda segundo o tipo, havendo melões amarelados, esverdeados e esbranquiçados.

Em geral, o melão é uma fruta bem aromática, de gosto definido, mas também é possível encontrar melões insípidos, sem gosto particular, ou mesmo amargos. A planta do melão é rasteira e bem parecida à da melancia. Tem folhas grandes, com cinco pontas salientes. As flores são brancas, algumas vezes amareladas ou alaranjadas, pequenas e frágeis.

O melão tem propriedades refrescantes e, por isso mesmo, é ideal para as épocas de muito calor. Também tem propriedades hidratantes, pois a fruta compões-se de 90% de água. Contém vitaminas A, C e E, além de alguns sais minerais como cálcio, fósforo e ferro.

Por muito tempo, no Brasil, o melão se manteve como uma "fruta-iguaria" encontrável apenas em hortas caseiras, devido às suas condições de raridade. Reputado pelo seu bom sabor, era tão difícil de ser obtido que, quando aparecia e estava doce, era exclusivamente aproveitado in natura e em saborosas saladas de frutas.

Usos medicinais:

• É uma fruta ótima para regimes de emagrecimento.
• O melão maduro é considerado calmante, refrescante, alcalinizante, mineralizante, oxidante, diurético, laxante e emoliente.
• O Suco do melão é indicado no tratamento da febre tifóide, mucosidades da garganta, esôfago e estômago, contra a acidose.
• Recomenda-se o melão contra gota, reumatismo, artritismo, obesidade, colite, atonia intestinal, prisão de ventre, afecções renais, litíase renal, nefrite, cistite, leucorréia, uretrite e blenorragia, cirrose hepática, hepatite, icterícia, cálculos biliares, insuficiência hepática e outras afecções do fígado.

Curiosidades:

• Segundo as doceiras em 1950, constituía, e ainda constitui, "quase um crime transformar um melão em doce" pois assim se perderia "o capitoso de seu cheiro e esquisito sabor".
• Ele deve ser conservado em lugar fresco e arejado. Assim, ele se mantém em bom estado por uma semana.
• Se a fruta já estiver madura, convém guarda-la na geladeira. Caso ela esteja aberta, cubra com plástico ou papel de alumínio para que não absorva os odores dos outros alimentos.
• Para apressar o amadurecimento do melão, envolva a fruta em uma folha de jornal por 1 ou 2 dias.

Fontes:

http://www.hortalimpa.com.br/curiosidades/melao.htm
http://www.bibvirt.futuro.usp.br/especiais/frutasnobrasil/melao.html
http://www.itaueira.com.br/medicinal_melao.htm
EURICO TEIXEIRA DA FONSECA, Frutas do Brasil, Editora SEDREGA, Rio de Janeiro. 1954.
Dr. Flavio Rotman, A Cultura Popular pela Comida, 17ª ed.,Editora Record, Rio de Janeiro. 1997.


<< anterior

[Cesta de Frutas]
próxima >>