CACHIMBOS DE ANIMAIS
[Cachimbos]
Texto: Gustavo Knust
Col.: Adelino Knust

Na maioria dos países onde são confeccionados cachimbos este é um dos temas mais difundido pelos fabricantes e artesãos de cachimbo dentre todos os existentes. A seguir vemos algumas dessas obras.

Cachimbo esculpido em bloco único de Meerschaum com exímio cuidado detalhista retratando quatro cavalos a brincar. Peça única, esculpida no século XIX, provavelmente originaria da Áustria. Complementam a obra piteira de âmbar e anel de ouro (11x7cm).
Cachimbos que trazem esculturas com a forma de cavalos. Todos são esculpidos em meerschaum, e remontam o século XIX.

Fonte: Pipes au Coeur
        Quatro cachimbos em espuma do mar com piteiras em âmbar ou chifre (Fornilhos entre 4 e 6cm e piteiras em torno de 15cm). Séculos XIX e XX. Duas cabeças de cão, uma cabeça de leão e uma cabeça de cavalo. O ultimo motivo é muito freqüente na Áustria, sem dúvidas a causa é a Escola Espanhola de Viena, com seus célebres cavalos “lippizans”, submetidos a um longo treinamento e cercada de magníficas apresentações.
Cachimbo em meerschaum. Retrata a cabeça de um leão, rico em detalhes. A piteira em âmbar possui um anel. Na parte inferior possui a figura de duas espadas, podendo-se imaginar que este cachimbo foi encomendado a um famoso artesão para presentear algum nobre. Século XIX, Alemanha (7x20cm).
        Com um nível de detalhamento inferior ao outro, este cachimbo também traz a figura do leão, sendo que neste caso, a peça os apresenta de forma inteira e inclusive nos mostra as características de macho e fêmea. Trabalhado em meerschaum no século XIX, com anel de prata e piteira em marfim.

Fonte: Pipes au Coeur
        Quatro cachimbos em espuma do mar com 14cm de comprimento, três dos quais possuidores de piteiras em âmbar: a do galo em chifre e decorada com madrepérolas. Séculos XIX e XX. Os dois cachimbos que reproduzem cabeças de galinhas são franceses; o galo no qual a cabeça é feita tampa, é oriundo de Viena. O frágil ovo entre as garras de uma águia é igualmente austríaco. Este motivo é comumente encontrado com diversas variantes.
        Este cachimbo reproduz a imagem de dois cães, confeccionado em genuíno meerschaum. O cão em destaque leva consigo um objeto à boca. Possui piteira em âmbar de sessão elíptica, própria dos requintados trabalhos franceses, provavelmente originário da cidade de Saint Claude, conhecida entre os fumantes como a capital mundial dos cachimbos. Final do século XIX.
        Raro cachimbo talhado em meerschaum representando uma pata de alce com anel de prata e piteira em âmbar, possui estojo em couro. Já bem fumado, perceptível através da coloração de seu fornilho de tom avermelhado. Mede aproximadamente 21cm. Origem provável, Áustria. Final do século XIX.
        Peça esculpida em meerschaum representando uma águia retornando ao seu ninho após a captura de uma presa. Piteira em âmbar. Também possui estojo em couro. Origem alemã. Século XIX.
        Representando a garra de uma ave de rapina, este cachimbo rico em detalhes foi entalhado em meerschaum. O fornilho diferente dos demais com o mesmo motivo, não é representado por um ovo. Origem austro-húngaro. Inicio do século XIX.
        Três peças variantes do motivo “garra e presa”. O da esquerda (8x16cm) e o da direita (5x15cm), são datados do inicio do século XX e originários de Istambul. Possuem piteira plástica e estojo original. Foram esculpidos em bloco de meerschaum. O mais abaixo confeccionado em verdadeiro meerschaum e com piteira em âmbar (7x18cm), é de origem austríaca e do inicio do século XIX. Esta foto representa perfeitamente o que fora exposto anteriormente em relação a coloração. O mais antigo apresenta uma coloração avermelhada devido ao uso, enquanto os dois mais recentes não foram sequer utilizados.
Cachimbo talhado na forma de cabeça de javali onde na parte superior há esculpidos outros habitantes da floresta. Este cachimbo foi manufaturado com a mais nobre das madeiras, o nó da raiz de roseira silvestre (urze branca), a Érica arbórea ou Érica scoparia, em francês bruyére e briar em inglês. O material supracitado é considerado o melhor tipo de madeira disponível para a confecção de cachimbo pela capacidade de reter o calor, não queimando assim a mão do usuário(tam. 10x21cm).
        São apresentados na foto acima cachimbos minuciosamente esculpidos em madeira representando os mais variados animais. Da esquerda para a direita temos: um macaco e um leão oriundos da França, um cavalo, um touro e finalmente uma caveira fabricados na Itália. Nota-se acima da cabeça do macaco a haste da tampa do fornilho. Os chifres do touro foram feitos de osso. Em todos fora utilizada a briar e suas piteiras moldadas em ebonite.
[Cachimbos]

[Bustos] [Sensuais] [Insólitos]