As Fábulas de Esopo Modernizadas

A Galinha que punha Ovos de Ouro

Tudo a avareza perde
Se tudo quer ganhar;
Basta-me, em prova disto,
Um fato aqui narrar.

Deitava uma galinha
Por dia um ovo d'ouro;
Julgou-a o dono um cofre
De perenal tesouro.

Tirou-lhe a vida, abriu-a
E achou o seu ovário
Igual ao das que botam
Qualquer ovo ordinário.

Assim, cedendo à força
Do baixo instinto ávaro,
De motu próprio extingue
Seu cabedal mais raro.

 

 

 


Barão de Paranapiacaba (trad.)
(1827-1915)

A Galinha e os Ovos de Ouro

O camponez avarento que tenta enriquecer-se à pressa, e mata a galinha que deita is ovos de ouro, só para se ver privado da sua fonte de riqueza:
O comercio marítimo alemão, manancial de tanta riqueza, queda por completo arruinado pela insana cobiça que impeliu a Alemanha a forçar esta guerra sobre a Europa.

Fonte: Tuck`s Post card texto no verso do postal desenhado por F Sancha , 1915 circa,
anotado ipsis litteris do original
.

Anterior
1 2 3 4 5 6

 [Esopo] [Fábulas]

[Cultura] [Mapa do Site]